OBESIDADE

Portugal é dos Países da Europa com mais obesidade infantil.

 

 A Obesidade é o resultado de um conjunto de alterações orgânicas que culminam em excesso de gordura corporal e não necessariamente excesso de peso.
A obesidade é uma enfermidade crónica, pois quem atinge índices de obesidade cria mutações nos seus genes, que faz com que o indivíduo passe a ter tendência a sempre ser obeso. Estes genes são mais poupadores de energia, do que gastadores.

obesidade2

A obesidade não se trata usando termogenicos, ou usar adoçantes e contar a quantidade de calorias dos alimentos, mas sim, trata-se de ensinar a própria célula de gordura (adipócito) a queimar a gordura. Entender o comportamento dos alimentos no corpo é importante.

A actividade física é fundamental, pois a massa magra, também é um factor importante no tratamento da obesidade e a oxigenação do tecido adiposo estimulada pelo exercício aeróbio diminuem a inflamação. Mas o raciocínio de que para emagrecer o que tem que se fazer é comer menos e gastar mais é limitado!

Sabe-se hoje, que o foco no tratamento da obesidade está na redução da inflamação, pois a obesidade é uma doença inflamatória. Pode-se até reduzir o peso e/ou gordura corporal com estratégias que não estejam considerando este aspecto, porém sabe-se, que não se consegue manter o peso perdido enquanto se mantém inflamado. Além da inflamação criar condições para o ganho de peso, ela favorece a resistência a insulina, Diabetes, arteriosclerose, dislipidémia, hipertensão, insuficiência renal etc.
A inflamação pode ser favorecida ou desfavorecida pela alimentação.

Exemplos de alimentos inflamatórios:
Gordura saturada ( fritos, carnes, manteiga), ácido gordo Omega-6 (ex:óleo de milho), arroz branco, café e leite.

Alimentos formadores de AGE (produtos finais de glicação avançada):  Produtos açucarados (biscoito recheados, suco de caixinha etc.), com a exposição a longo prazo(meses) há aumento no nível de AGE, caramelizando sangue e células.

Produtos que já contém o AGE: Queijos, cereais kellogg’s e outros, maionese, margarina, Cream Chease, frutose concentrada).

Os AGEs podem ser criados nas preparações do alimento, sempre que associamos um carboidrato (ex: arroz, macarrão, batata, pão) com uma proteína (ex: carnes, queijos), assim como as preparações assadas e grelhadas.

Alimentos anti inflamatórios: Ex: Gengibre, alho, cúrcuma, açafrão, Omega 3 (linhaça, chia. Nozes, açaí), acelga, brócolos, lentilha, amêndoa, castanha do Pará.

Obs: A inflamação é uma resposta necessária na defesa do organismo, porém o que é inadequado é quando se apresenta de forma exacerbada, pois assim favorece o desenvolvimento das doenças citadas acima.
O padrão alimentar português estabelecido hoje é altamente pró- inflamatório.
Vamos rever nossos conceitos???
Mais adiante falarei de outros factores que são gatilhos para inflamação (alimentares e extra-alimentares) e que contribuem para a construção da obesidade.
Falarei, também, mais detalhadamente, sobre alguns alimentos que podem auxiliar no processo emagrecimento!
Ressaltando que a solução não está na escolha de apenas um alimento, pois a intervenção contra a obesidade tem que ser global!!!
Mais informações, veja este vídeo do Movimento “Alquimia da Nutrição”:
Fonte: Noticias Naturais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.